31/03/2016
Compartilhe este artigo

Quando falamos em Marketing moderno ou, ainda, Marketing de conteúdo, o conteúdo é o centro das atenções. Mas conteúdo com relevância. Que faça o precioso tempo do seu cliente ser investido de forma consciente. É com conteúdo de relevância que somos direcionados ao topo das pesquisas do Google. É ele que nos qualifica e nos dá certificação de capacidade para aquilo que escrevemos.

Tudo o que as pessoas compartilham nas Mídias sociais falando sobre a sua empresa é capaz de fidelizar ou não o seu cliente. Ainda, com esse feedback é possível conseguir novos clientes e/ou conquistar a confiança deles para posteriormente realizar a venda do seu produto/serviço.

Contudo, existem, ainda, empresas que ainda dependem do know-how, ou seja, da formação técnica ou científica, adquirida em anos para conseguir sobreviver e ter um diferencial. Um exemplo disso são as atuantes nos setores da educação e prestadoras de alguns serviços. Quando elas se deparam com essa nova visão do Marketing Moderno, acabam mergulhando em um grande dilema: sei que o conteúdo é importante, entretanto, se eu revelar todo meu conteúdo perco o meu produto. Como lidar com isso?”

É com esse dilema que nós pretendemos refletir melhor sobre a questão de mostrar aquilo que sabemos com uma forma mais produtiva e, quiçá, esperta de encarar o problema proposto.

Entenda o que o seu cliente compra quando adquire o seu serviço

O ponto de partida para se tornar notório no mercado em que está inserido e para começar a lidar com essa questão é conhecer melhor o seu cliente, a demanda que ele tem e o que ele compra.

Alguns empresários, como os chefes de cozinha, famosos por apresentarem programas culinários, também são famosos em outro ramo: o de restaurantes. Eles ensinam as pessoas a prepararem diversos pratos e também gerenciam seu próprio empreendimento. Sempre cheios, caros, famosos. Essa comparação mostra de forma bem simples que, às vezes, os clientes compram e demandam por algo que as empresas não percebem. O chamado óbvio.

Muitos programas de posicionamento não passam de uma procura do óbvio. E isso é exatamente aquilo que a gente mais esquece de levar em consideração. Muitas vezes esse óbvio não é percebido. Óbvio demais.

Um exemplo disso  é quando alguém paga caro para ir em algum desses locais, ele (o cliente) não está investindo para comer uma receita que  poderia ser preparada por ele mesmo apenas seguindo os passos mostrados no programa. Está comprando, na verdade, a comodidade de não ter que preparar, a garantia que a receita vai ser bem executada, o status, etc.

Com a sua empresa acontece a mesma coisa. Aqui no nosso blog, por exemplo, damos inúmeras dicas de Marketing Digital e de Conteúdo e exploramos muitos assuntos revelando vários “segredos” que eventualmente poderiam ser cobrados. Mas fazer isso não mata os serviços que ofertamos. Essa abordagem que utilizamos, também não desqualifica as consultorias que oferecemos. É tudo uma questão de entender e empacotar em formatos distintos aquilo que o nosso público demanda.

Você não está protegido só por não compartilhar, perceba

O mercado anseia por diferenciais. Você deve entender que não é porque você não publica conteúdos que sua empresa estará segura de perder posições para a concorrência. Na verdade, é cada vez mais difícil fazer esse tipo de bloqueio de acesso à informação. O consumidor costuma colocar as marcas em uma escadinha. E na escadinha das marcas o segundo nem sempre é a escolha deles. Segundo não é posição. Nem opção.

Fora isso, há hoje muito conteúdo gratuito na internet (principalmente em inglês), muitos livros, cursos, materiais educativos e etc. Não dá pra contar com a falta de informação da concorrência como uma barreira competitiva relevante.

O mundo mudou. Adapta-se

Junte o que foi comentado anteriormente e adapte o seu produto ao que mudou no mundo. Cedo ou tarde o conhecimento que você ou sua empresa tem vai escapar. Você vai ter que saber como lidar com isso. Se não é possível protegê-lo com sustentabilidade e vender a preço de ouro. Faça exatamente o contrário. Lembra quando falamos que o óbvio nem sempre é visto por ser óbvio demais, está ai o seu diferencial.

Fazendo justamente o contrário do que todos esperam e anseiam que não se faça, a saída é externalizar o conteúdo o mais rápido possível, de forma relevante, que valha a pena investir tempo lendo e clamar a autoria. Mostre que sua empresa tem propriedade sobre “tudo” e dita as regras do mercado. Deixe claro que que se alguém fizer o mesmo depois está só copiando, seguindo o verdadeiro líder. Lembra? Segundo não é posição. Nem opção.

Quando o cliente e/ou potencial cliente perceber o que você está mostrando a ele, ele terá segurança suficiente para te escolher como o fornecedor ideal. O primeiro da Escadinha das Marcas.

Não espere destaque se o seu conteúdo for “raso” e não revelar “segredos”. Assim, seus leads e prospects não saberão diferenciar o seu domínio do domínio dos seus concorrentes e, então, acabarão nivelando todos no mesmo nível.

Por fim, ao disponibilizar parte do seu conteúdo antes de todos os outros, preocupe-se em ter um pacote de entrega adequado aos seus produtos/serviços, independente se é conteúdo publicado no blog ou em e-Books. Se a sua empresa têm capacidade, qualificação e uma excelente entrega de serviços, publicar conteúdos de alta relevância e “entregar” seu know-how oferece muito mais a ganhar do que a perder.
 


Compartilhe este artigo
São mais de 12 anos de experiência em Desenvolvimento voltado para internet, 8 anos trabalhando com Marketing Digital e uns 4 anos ajudando empresas a ter mais oportunidades de negócio com o Inbound Marketing.
Rafael Longo
Conheça o autor:

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *