15/08/2019
Compartilhe este artigo

LGPD é a sigla para “Lei de Proteção de Dados”. Esta lei foi sancionada pelo então presidente Michel Temer em 2018 e entrará em vigor em fevereiro de 2020.

A Lei de Proteção de Dados regulamenta questões como: coleta, armazenamento, tratamento e compartilhamento de dados pessoais.

Ela impõe mais proteção para usuários e penalidades para o não cumprimento pelo lado das empresas.

As multas podem variar entre 2% do faturamento do ano anterior da empresa, até R$ 50 milhões. A lei também regulamenta penalidades diárias, dependendo do caso.

A LGPD tem como base a GDPR, que é a regulamentação europeia de dados.

Essa lei impacta de forma direta diversos segmentos, mas principalmente o marketing digital como é feito atualmente.

Quer entender como ela vai funcionar? Então acompanhe o texto e descubra tudo sobre a LGPD.

Boa leitura!

Quem estará envolvido no processo de proteção de dados?

A LGPD envolverá 4 atores de forma direta na proteção dos dados em cada empresa:

  • O titular: Seria o proprietário dos dados, no caso as pessoas físicas;
  • O controlador: O tomador dos dados, ou seja, as pessoas jurídicas;
  • O operador: A empresa responsável pela coleta de dados e sua efetiva segurança através de soluções automatizadas;
  • O encarregado: O profissional que responde pela proteção dos dados da empresa. Dependendo da situação ele pode ser responsabilizado junto com a pessoa jurídica no caso de mal uso dos dados ou vazamento por qualquer motivo alheio.

A entrada em vigor da LGPD significa um grande desafio para diversas empresas que terão de rever seus processos.

No que diz respeito ao Marketing, bastante coisa mudará.

Confira quais os impactos do LGPD para o Marketing?

Com a LGPD, a tendência é que as empresas busquem métodos mais naturais para alcançar pessoas.

De forma alguma os profissionais do marketing vão deixar de contar com os dados, porém, empresas e profissionais precisarão encontrar formas mais inteligentes e específicas para ganhar leads.

No fim, esta pode ser uma oportunidade para o mercado, de aperfeiçoar e encontrar formas mais assertivas de conectar marca e público.

Como fica o Inbound Marketing?

A base do Inbound Marketing a obtenção dados e informações. Automaticamente a metodologia irá ter algumas alterações.

A busca incessante do marketing é atrair o público através do conteúdo que é do seu interesse.

Estabelecendo assim uma conversa com seu target. Como resultado, o lead desenvolve um vínculo de confiança no relacionamento cliente – marca.

As regras do LGPD não irão barrar a coleta de dados. Apenas irá requerer o consentimento do público para ter acesso às informações.

Isto significa menos letras miúdas: seu público precisa saber, de forma clara e expressiva, o que você irá fazer com aquele dado, e ele precisa ter a certeza que que está seguro.

Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo vai ganhar ainda mais força com a nova lei! A meta de promover engajamento será a melhor ferramenta.

É necessário pensar em fornecer experiências valiosas através do seu conteúdo, e que elas sejam gatilhos para desenvolver engajamento com as pessoas.

Dessa forma será possível colher dados de maneira voluntária, confiante e ativa. A dinâmica muda, mas os resultados ainda podem ser obtidos!

Geração de leads

A geração de leads feita através de campanhas de Inbound Marketing ainda poderão ser exploradas.

Contudo, é necessário que o profissional de marketing se atenha a duas questões:

  1. Obtenha consentimento do lead de forma extremamente clara;
  2. Seja data-driven, e não data-hungry. (Ou seja, guie-se pelos dados, e não por impulsos).

E-mail marketing

No e-mail marketing irá funcionar da mesma forma. Será necessário ser bastante claro com os emails cadastrados no seu sistema de automação.

Se fará necessária uma análise de toda a base de leads para identificar e segmentar.

Isso também significa que listas de emails frias e compradas não serão mais possíveis de utilizar. Elas serão oficialmente ilegais!

Anúncios segmentados

Vivemos em um mundo onde a segmentação de público e mercado é uma realidade. Por isso, o conteúdo vai reinar de forma absoluta nesta nova fase!

Até o momento o Facebook tem trabalhado da seguinte forma: ele coleta os dados do usuário, este usuário é enquadrado em dados demográficos específicos e o comportamento do usuário na rede também é um dado para enquadrar o mesmo.

Com as novas regras da LGPD, o Facebook vai tornar mais fácil para as pessoas descobrirem quais informações pessoais são armazenadas sobre elas mesmas. E antes de tudo, usuários terão o poder de recusar a utilização de dados.

A partir disso, pode ser que o próprio Facebook assuma o papel de controlador de dados. Ou até mesmo a empresa anunciante.

Os maior cuidado deve ser tomados quando a empresa assumir o papel de controladora de dados.

Isso porque será ela quem terá responsabilidade sobre tais informações.

Empresas e Profissionais de Marketing

Ainda existe um tempo hábil para que a LGPD entre em vigor. Neste momento, empresas e profissionais de marketing devem buscar novas estratégias e repensar suas técnicas.

Contar com um time que compreenda como funciona a lei e perceba as oportunidades do mercado atual será o grande diferencial na nova era do LGPD no Brasil.

Como as novas regras do LGPD impactam no futuro do marketing?


Compartilhe este artigo
Iara Picolo
Conheça o autor:

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *