08/07/2020
Compartilhe este artigo

Todo mundo que conhece um pouco do mercado sabe que hoje o marketing digital é imprescindível. Afinal, vivemos em uma época em que mais de 140 milhões de brasileiros estão conectados nas redes sociais (segundo dados de janeiro de 2020 divulgados pelo DataReportal).

Isso já não é novidade há um bom tempo e o digital tem ocupado cada vez mais espaço em relação ao marketing tradicional, que era a única possibilidade alguns anos atrás.

Hoje, tornar sua empresa mais digital precisa ser uma prioridade para se posicionar, conquistar público e continuar vendendo! Ter marketing digital em sua empresa não é mais diferencial, é obrigatório para sobreviver ao mercado. 

Produzimos um eBook especial sobre o assunto: Marketing Digital para Vender Mais.

No entanto, muitas empresas que estão começando no marketing digital – ou mesmo algumas que já tem trabalham com ele – repetem erros que podem ser muito prejudiciais em suas estratégias.

Por isso, separamos uma lista com os principais erros do marketing que você não pode cometer. Continue lendo e confira.

1. Não definir suas personas e ficar no “achismo”

Erros que você não pode cometer com o seu Marketing Digital | Fluxo

Você sabe para quem está vendendo? Para quem está gerando conteúdo? Quem realmente você deseja atrair?

Sem essas informações você pode estar atirando para todo lado, atraindo pessoas que nunca terão interesse em seu negócio, gastando recursos com pessoas que nunca serão seus clientes e perdendo a oportunidade de realmente conquistar vendas rentáveis!

O primeiro resultado desse trabalho sem um direcionamento adequado é um alto Custo de Aquisição de Clientes (CAC). Isso quer dizer que você está gastando muitos recursos para atrair poucos clientes, porque seus esforços não estão indo para as pessoas certas.

Mas não é só isso. A falta de direcionamento cria problemas para o seu time de vendas e pré-vendas, que vai perder tempo em vendas impossíveis, sem conseguir fechar muitos negócios porque os leads que vão receber não têm muito interesse no que sua empresa oferece. São clientes que não estão prontos para comprar. 

Com esse tipo de abordagem ao marketing, você acaba fazendo com que sua carteira de clientes e possibilidades de venda diminua com o tempo. Consequentemente, sua lucratividade também cai. Você sempre estará falando com quem não quer comprar de você, e isso é uma bola de neve! 

Para resolver esse problema, é preciso saber quem é o seu público! Temos certeza que essa frase não é nova para você: conheça seu público. Mas isso não pode significar simplesmente imaginar um público-alvo e focar nessa ideia inventada. Isso é um achismo que não leva a lugar nenhum.

Olhe para seus seguidores, para seus leads, para sua base hoje e pense: esse é o público que você quer atingir? Esse é o consumidor ideal da sua empresa? Quais informações certeiras você pode tirar dos clientes que você possui hoje? Quem são essas pessoas? 

Se a resposta para essas perguntas começou com um “Eu acho que…”, você está com problemas! 

A solução está em realmente definir um público-alvo a partir de pesquisas e estudos com as pessoas que são seus clientes, e também com outros públicos que poderiam vir a se interessar no seu produto ou serviço. Nesse sentido, vale usar a máxima de que conhecimento é poder.

Por isso, é muito interessante analisar seus dados, falar com seus clientes, conhecer essas pessoas e ir ainda mais longe e definir personas para o seu negócio.

A importância das personas é muito grande para qualquer empresa, fazendo com que você realmente conheça o público para quem está vendendo e produzindo conteúdos.

Personas são um tipo de “personalidades fictícias” que uma empresa pode construir a partir das tendências de seu público, tendo características do que seriam seus “clientes ideais”. 

Assim, na hora de produzir conteúdos e elaborar estratégias de marketing, você não estará fazendo isso pensando em um público abstrato, e sim em pessoas que realmente são a cara do seu público.

Ainda não criou suas personas? Dá uma conferida neste outro texto do nosso blog que falamos exclusivamente sobre o assunto: Como criar uma persona para sua empresa.

Falar com um público assertivo faz TODA a diferença em sua estratégia de comunicação. E isso está totalmente ligado ao segundo erro: 

2. Não ouvir a opinião do público

Uma das maiores vantagens que o marketing digital tem em comparação com o tradicional é a possibilidade de interação com o seu público. Ao invés de produzir peças de marketing para serem impostas às pessoas, você muda a chave e cria conteúdos com os quais as pessoas podem interagir; e sobre os quais elas podem opinar!

Além disso, as redes sociais também criaram uma espécie de novo mundo, onde seu cliente pode falar sobre a sua marca, opinar sobre os seus resultados, compartilhar esses assuntos, ser um próprio canal de mídia e muito mais.

São possibilidades imensas para que sua empresa produza um marketing mais acertado, crie produtos mais adequados para o público e ofereça os serviços que seus clientes realmente querem. 

Por isso, não ouvir a voz do público nas redes é um dos erros que sua empresa pode cometer.

O monitoramento de mídias sociais e o Social Listening são formas de realmente entender o que seu público está dizendo, melhorar sua comunicação e criar uma relação sólida com os seus clientes. 

Escute o que o seu público está falando sobre a sua marca, interaja com ele nas redes sociais, responda todos os comentários e mostre que sua empresa realmente está interessada em oferecer o melhor serviço! 

Ouvir é a chave. Seu cliente já está falando sobre seu produto ou serviço, quem sabe ele já está falando sobre você! Mas o que? É preciso prestar atenção! 

3. Não focar as ações no seu cliente

Essa dica é muito básica e, ainda assim, muitas pessoas não a seguem direito! Agora que você conhece seu público, definiu personas e sabe o que seus clientes falam sobre você nas redes, é preciso orientar suas ações de marketing com foco 100% no cliente!

É muito comum que, mesmo conhecendo os clientes, o marketing acabe produzindo peças voltadas para si mesmo, sem direcioná-las para as necessidades do seu público. Isso acontece por falta de cuidado, de preparo ou mesmo de conhecimento da área. 

Acaba que sua comunicação é sempre você falando sobre você mesmo, num ciclo sem fim. Você gostaria de ser impactado por anúncios ou comunicações assim? 

Quando peças de marketing desse tipo são publicadas, é como se você jogasse no lixo todo o conhecimento adquirido nas duas primeiras dicas! Aí voltamos aos problemas que já discutimos: CAC alto, dificuldade nas vendas, queda de rentabilidade, pouco retorno, pouco engajamento, etc. Parece que “nada vai para a frente”. 

Para evitar cair nesse erro, a recomendação é simples: reúna todo o seu conhecimento sobre o público, sente com sua equipe de marketing, discuta com calma e busque montar ações que realmente atendam os anseios do seu cliente!

O objetivo é atingir e ajudar ele. Como o seu produto ajuda? Como você transforma a vida do seu cliente? Temos certeza que você tem mais a dizer do que um foto com um preço. 

4. Não levar em conta a importância do Google

Erros que você não pode cometer com o seu Marketing Digital | Fluxo

Quando você tem uma dúvida sobre algum serviço, ou quando quer comprar um produto, qual é o primeiro lugar que você vai procurar? A resposta para essa pergunta é: Google. 

É inocência acreditar que o seu consumidor não está procurando sobre o seu produto ou serviço agora, online. 

A maior ferramenta de pesquisas do mundo atualmente é também o principal lugar onde você pode conquistar clientes. É através dela que você vai fazer com que pessoas conheçam sua marca, encontrem suas redes sociais e descubram a solução que você está oferecendo.

No entanto, a coisa não é assim tão simples. Há várias outras marcas no mercado que oferecem soluções semelhantes à sua, não é? É claro, a sua solução é única, é especial, possui elementos que a fazem incomparável. Mas o cliente não sabe disso. Para que ele descubra, você precisa aparecer no Google.

E não é só aparecer! Tente lembrar: quando foi a última vez que você foi além da primeira página de resultados em uma pesquisa no Google? Ou melhor: quando você chegou a ir até o final da primeira página? 

É raro, não é? É exatamente por isso que você precisa entender de Search Engine Optimization (SEO)

Essa sigla em inglês significa “otimização para mecanismos de buscas” e quer dizer, de forma bem resumida, melhorar as suas páginas e seus conteúdos para que eles apareçam nos primeiros lugares do Google – e também de outras ferramentas de busca, como a pesquisa do Instagram ou do Facebook, por exemplo.

Melhorar o seu SEO precisa ser um dos principais objetivos do seu marketing digital

Para rankear bem no Google, suas páginas precisam ter um bom link building, apresentar um conteúdo original e de qualidade, ter velocidade de carregamento, um design responsivo e, principalmente, boas palavras-chave.

Com o perdão do trocadilho, palavras-chave são a chave para um bom SEO. Você precisa descobrir palavras que representem o conteúdo, produto ou serviço que você está apresentando e que tenham uma alta busca no Google.

Para definir e otimizar essas palavras, você precisa avaliar o volume de pesquisas no Google e também analisar quais são as palavras mais interessantes para a sua persona.

Vale lembrar que SEO é um assunto complexo e bastante amplo. Para você entender mais, sugiro estes dois post blogs:

Os primeiros passos com SEO

Rankeamento no Google: O que levar em conta para chegar no topo?

5. Não produzir conteúdo e não conhecer o Inbound Marketing

Produzir conteúdo de qualidade é uma das melhores formas de conquistar clientes por meio do marketing digital.

Afinal, atrair o cliente para sua página pelo SEO é apenas o primeiro passo: você também precisa convencê-lo a ficar, a ler mais sobre o seu produto e, finalmente, realizar uma compra!

Um dos melhores processos para captação de clientes dessa forma é o Inbound marketing, também conhecido como marketing de atração. 

Sua estratégia envolve o que chamamos e funil de vendas. O primeiro passo é atrair o possível cliente para a sua página online. Depois da atração, o objetivo é convertê-lo em um lead – ou seja, fazer com que ele realize alguma ação na sua página, idealmente preenchendo um formulário com seus dados.

A partir disso, é o momento da nutrição do lead. Com o contato dele, você continua oferecendo conteúdos, enviando e-mails e criando uma relação de confiança com ele, para que ele se convença de que o seu produto ou serviço é algo que ele realmente precisa. 

Isso facilita muito o trabalho da sua equipe de vendas e atrai clientes que são muito mais fáceis de fidelizar, porque já tem uma relação com sua empresa. Assim, o Inbound Marketing pode ser visto como uma estratégia para gerar oportunidades para vender mais!

Se quiser saber mais sobre a geração de leads e sobre o caminho para ter um marketing digital bem sucedido, você pode conferir nosso eBook sobre o assunto:


Compartilhe este artigo
São mais de 12 anos de experiência em Desenvolvimento voltado para internet, 8 anos trabalhando com Marketing Digital e uns 4 anos ajudando empresas a ter mais oportunidades de negócio com o Inbound Marketing.
Rafael Longo
Conheça o autor:

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *